MARX: O que é o materialismo histórico? Uma síntese

Na produção social da sua vida, os homens contraem determinadas relações necessárias e independentes da sua vontade, relações de produção que correspondem a uma determinada fase de desenvolvimento das suas forças produtivas materiais.

O conjunto dessas relações de produção forma a estrutura econômica da sociedade, a base real sobre a qual se levanta a superestrutura jurídica e política e à qual correspondem determinadas formas de consciência social.

O modo de produção da vida material condiciona o processo da vida social, política e espiritual em geral.

Não é a consciência do homem que determina o seu ser, mas, pelo contrário, o seu ser social é que determina a sua consciência.

Continuar lendo

Anúncios

“Marx vagabundo”: como seria se liberais tratassem seus ideólogos tal qual tratam Marx (por Davi Dias)

Há várias críticas a Marx. Mas, com a exceção da Escola Austríaca, que até tenta fazer uma critica a seu pensamento econômico, a maioria das acusações não passam de ataques infantis. Por exemplo, a de que Marx era um “vagabundo” que não trabalhava, “sustentado” pelo seu “amigo burguês”, Engels, e que teria traído sua esposa com a empregada. Fala-se ainda que Marx era “racista” e “machista”.

Mas, será que ele era o único pensador que pode ser atacado por essas acusações?

Continuar lendo

“Análise concreta das condições concretas”: a relação entre o Partido dos Panteras Negras com o Marxismo-Leninismo e Pensamento Mao Tsé-Tung

Este artigo é um texto, feito por Chao Ren, sobre o Partido dos Panteras Negras, suas origens e fundamentos ideológicos e, sobretudo, seu caráter inovador e científico frente ao problema da contradição entre o proletariado preto oprimido e a burguesia imperialista branca – opressora.

Baseado no Marxismo-Leninismo e também no pensamento Mao Tsé-Tung, os dirigentes do PPN fizeram evoluir a filosofia de Malcolm X e a libertação do povo afro-americano com base no materialismo-dialético – ainda sim, sem se declararem exclusivamente marxistas.


 “… A coisa mais essencial no marxismo, sua alma viva, é a análise concreta das condições concretas…”  (Mao Tsetung, “Sobre a Contradição”, Abril de 1937).

Continuar lendo

“A antropologia cultural superou Engels”? A falsa superação acadêmica contra Morgan, Engels e o marxismo no âmbito antropológico

Este texto é um excerto dos comentários de Vinícius Bessi, com base nas concepções da acadêmica Eleanor Leacock, sobre a falsa ideia de superação do antropólogo Morgan (e também da obra “A Origem da Família” de Engels) em relação ao conceito de patriarcado.

Continuar lendo

Ser e não ser: eis a questão dialética!

Através dos tempos, o ser humano buscou das mais diversas maneiras entender o mundo que o cerca impondo certos mecanismos para isso. Um deles é a lógica, que nada mais é que a forma pela qual o homem busca validar determinados modos de raciocínios, que por sua vez, buscam explicar de forma material o mundo real, a realidade em si com tudo que a mesma engloba, desde o objetivo ao subjetivo.

E ao explicar a Lógica, chegamos a abordar o cerne do presente texto que procura validar a dialética como uma lógica dinâmica, a qual não procura negar a lógica formal aristotélica, mas fugir da binaridade: Verdade absoluta ou Verdade relativa, colocando um patamar transitório entre as duas.

O pensamento dialético, não busca imputar à lógica aristotélica uma “falsidade” epistemológica, e sim apontar o caráter unilateral da mesma, que cristaliza o ser ao não enxergar as relações que o mesmo tem consigo e com o que o cerca. O método dialético supera essa insuficiência quando entende o ser como um processo, como puro movimento, realizando esta façanha sem cair no relativismo de uma suposta negação da lógica formal, negação esta que não existe.

Continuar lendo

China em Davos defende o livre comércio entre as nações: qual a surpresa? (por B. Torres)

É interessante o alvoroço gerado em certos segmentos políticos com a declaração da China. Os setores liberais elevam isso como uma prova da justeza e vitória do liberalismo sobre o socialismo (levado aqui como planejamento econômico). E amplos setores da esquerda falam a mesma coisa que esses liberais alegam, que o que ocorre na China é uma política econômica tipicamente neoliberal (discordando apenas sobre a superioridade do liberalismo sobre a planificação).

Mas parece que estão todos no mundo da lua. Parecem que nunca perceberam o mínimo sequer sobre a história chinesa, ou sobre economia básica.

É um fato que a economia chinesa tem se aberto ao mercado por meio de reformas que tem sua consolidação na década de 1980. É nessa época que eles articulam as ZEE’s (Zonas Econômicas Especiais). Sem compreender esses períodos anteriores, não compreenderemos a China hoje.

Continuar lendo

A missão dos marxistas nos Estados Unidos

Os marxistas norte-americanos tem uma missão importante; unir os explorados contra o único inimigo concreto e verdadeiro culpado pelos males que vivenciam diariamente: os capitalistas e seu sistema econômico.

Deve arregimentar os brancos pobres, trabalhadores e parte da classe média afetada pela crise numa consciência de classe, mostrar os problemas do capitalismo e o porquê de se encontrarem nessa situação decadente, não só do ponto de vista econômico mas social.

Continuar lendo