Precisamos falar sobre ‘Quarta Teoria Política’: o que é a Dissidência e a sua principal diferença com o Marxismo (por B. Torres)

Um fenômeno relativamente crescente nos círculos militantes brasileiros é a chamada “quarta via política” (ou quarta teoria política). Se por um lado ela tem tido um paulatino crescimento e adesão, por outro, cresce também o número de pessoas que os qualificam como fascistas, sobretudo no seio da esquerda.

Análises reais e bem embasadas sobre o que realmente é esta corrente nunca são feitas. Compreender, de fato, o que se trata tal teoria, é uma opção que tem sido deixada de lado, dando espaço para alarmismos e confusões conceituais de todos os tipos.

Aqui, no Brasil, os adeptos da QTP (centrado sobretudo no movimento Nova Resistência) são, por um lado, classificados erroneamente como comunistas (por elementos fascistóides ou filo-fascistas, como as alas mais direitistas da LNT) e por outro lado, são classificados – também erroneamente – de fascistas (por anarquistas, e também por alguns marxistas sinceros).

E nos sobra os questionamentos: que diabos eles realmente são? E qual a percepção deles das outras correntes políticas (inclusive a nossa: o marxismo)?

Quais as principais divergências conceituais entre o marxismo e a QTP?

Continuar lendo

Anúncios